Comunidade italiana na Venezuela envia carta aberta ao presidente Mattarella

Em meios aos protestos, italianos escrevem para Mattarella: “Presidente, reconheça Guaidó”

Os opositores venezuelanos, liderados pelo autoproclamado presidente interino Juan Guaidó, saíram às ruas neste sábado (2) em protesto contra Nicolás Maduro.

A comunidade italiana no país aproveitou para enviar uma carta aberta ao presidente da Itália, pedindo que Sergio Mattarella reconheça a autoridade de Guaidó.

“Presidente, reconheça a autoridade de Guaidó e fique ao lado do povo venezuelano. Estamos surpreendidos com a posição tomada pela Itália”, diz o trecho da carta.

Parte dela foi publicada no perfil oficial da Assembleia Nacional, no Twitter. “Dizemos ao presidente da Itália que estamos impressionados com a posição assumida pelo governo italiano. Pedimos que se alie aos venezuelanos e reconheça Guaidó como presidente”.

Na votação no Parlamento Europeu, a Itália foi o único dos 28 países da União Europeia a vetar uma resolução para admitir o papel de Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela até novas eleições.

Na quinta-feira, a Itália anunciou que não reconhece Guaidó presidente interino da Venezuela porque “não concorda em interferir nos assuntos internos de outro país”. Ela quer eleição imediata.

Hoje, em seu pronunciamento na TV, Nicolás Maduro agradeceu os países que o apoiam e colocou Roma na lista. “Obrigado pela solidariedade que temos recebido o mundo todo. Obrigado também a Roma”, disse.

Estima-se que há cerca de 2 milhões de descendentes de italianos na Venezuela. Cerca de 160 mil estão registrados no AIRE, o cadastro de italianos residentes no exterior, segundo dados registrados nos dois consulados (Caracas e Maracaibo). Desses, 65% têm dupla cidadania.

O Italianismo conta com mais de 4.5oo seguidores na Venezuela. Mais de 1.000 apenas em Caracas, a capital do país.