Presidente da federação italiana ameaça parar campeonato após brigas e racismo

Cantos racistas para Koulibaly mancham vitória da Inter. Foto: Napolisport

Gabriele Gavina diz que “algo radical” tem de ser feito depois do acontecido no San Siro

A partida Inter-Nápoles, realizada nesta quarta-feira (26), ficou marcada por incidentes graves em Milão. O balanço é trágico: um morto, vários feridos, lutas e cânticos racistas. A situação já motivou a intervenção do presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC), afirmando que uma pausa no campeonato italiano para acalmar os ânimos é algo a ser pensado. “O problema é de ordem pública, tal como o facto de se jogar ou não”, afirmou Gabriele Gavina.

“Precisamos de algo radical, esta partida tinha de ser uma festa e vi coisas inaceitáveis. Estou preocupado com este clima. No San Siro vi jogadores demasiado nervosos e o que aconteceu fora do estádio é demasiado grave. Falaremos hoje com o governo e com o Comitê Olímpico e logo se decidirá”, disse o mandante.

Ainda ontem, o chefe da polícia de Milão, Marcello Cardona, explicou em entrevista coletiva que, antes do início do jogo, uma caminhonete na qual viajavam torcedores do Napoli foi atacada por cerca de cem torcedores da Inter.

Os torcedores do Napoli desceram do veículo e foi dado início a uma briga na qual duas pessoas ficaram levemente feridas por arma branca. Em meio ao tumulto, o torcedor acabou sendo atropelado e posteriormente levado ao hospital em estado grave. Nesta quinta-feira ele veio à óbito.

Durante a partida, o zagueiro Koulibaly foi alvo de insultos racistas. Sons de macaco e insultos direcionados ao senegalês podiam ser ouvidos desde os primeiros minutos da partida. Por pelo menos três vezes, o sistema de som do estádio pediu para que os cantos parassem – inclusive, sob risco de pena à Inter de Milão. Em vão.

O jogador acabou por ser expulso, algo que o seu treinador Carlo Ancelotti vê como uma consequência da pressão a que foi sujeito.

“Houve uma atmosfera estranha hoje, eu pedi ao árbitro três vezes para que a partida fosse suspensa, teve três anúncios no alto falante. Koulibaly estava certamente irritado. Ele normalmente é muito calmo e profissional, mas ele ouviu sons de macaco durante a partida inteira”, se queixou o treinador.

O treinador disse que pediu inúmeras vezes ao árbitro Paolo Mazzoleni para que o jogo fosse interrompido. Mas não foi ouvido.

“Na próxima, talvez tenhamos que sair de campo”, disse na coletiva de imprensa após a partida.

“Peço desculpas pela derrota e, sobretudo, por ter deixado meus companheiros na mão. Mas tenho orgulho da cor da minha pele. De ser francês, senegalês, napolitano: homem.”

A Inter de Milão venceu por 1 a 0 o Napoli.