Itália destinará € 1 bilhão para pesquisa em tecnologias emergentes

O governo da Itália vem tentando fazer o país acompanhar o progresso tecnológico. Essa é provavelmente uma das principais razões por trás do recente apoio do governo ao desenvolvimento de tecnologias como blockchain, IoT, Realidade Virtual e outras tecnologias inovadoras.

No início deste ano, o Ministério do Desenvolvimento Econômico italiano adotou a Lei do Orçamento, e colocou uma especial atenção ao investimento em tecnologias emergentes. Com isso, 1 bilhão de euros devem ser investidos em blockchain e outras inovações no ano que vem. A lei também estipula o estabelecimento de um fundo para o apoio as tecnologias.

Durante uma fala na Futureland Conference, o Ministro do Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Luigi Di Maio, confirmou o lançamento do fundo.

“Diante da crescente importância de tecnologias como Inteligência Artificial, Blockchain e Internet das Coisas, é essencial apoiar o desenvolvimento dessas tecnologias, incentivando o investimento nessas áreas e, ao mesmo tempo, assegurando a conexão entre os diversos setores de pesquisa. Para este fim, o Ministério do Desenvolvimento Econômico estabelecerá um Fundo para intervenções destinadas a incentivar o desenvolvimento de tecnologias e aplicações de Inteligência Artificial, Blockchain e Internet das coisas, com uma valor total de 1 bilhão de euros nos anos 2019, 2020 e 2021”.

O Ministro também forneceu mais detalhes a respeito de como (e quando) a lei será aplicada.

“Até o final do ano, graças à lei orçamentária e ao decreto de simplificação, um pacote de normas entrará em vigor no sistema legal italiano, em primeiro lugar, para reconhecer todo o valor legal vinculado ao blockchain e ao fundo único de capital de risco. Combinamos vários fundos disseminados em estruturas públicas do Estado que lidam com capital de risco e criamos o Fundo Italiano para a Inovação, que terá 1 bilhão de euros a partir de fevereiro de 2019 e estará aberto a investidores particulares”, explicou Di Maio.

O fundo de capital de risco deve começar a funcionar em fevereiro de 2019. Este estabelecimento pode alterar significativamente o ambiente de investimento para aqueles que estão dispostos a lidar com blockchain e outras tecnologias emergentes.

por Luciano Rocha/criptomoedasfacil