Itália é a preferência dos alunos da Universidade do Porto para fazer Erasmus

Caio Guatelli/VEJA

Espanha liderava as escolhas


A Itália ocupa pela primeira vez a preferência dos mais de 1.200 estudantes da Universidade do Porto (UP) que vão fazer Erasmus no próximo ano letivo, substituindo a Espanha que liderava as escolhas.

O Erasmus Mundus é um programa de cooperação internacional, criado em 2004 e financiado pela Comissão Europeia, que permite a mobilidade de alunos que estejam no ensino superior. Graças a bolsas de estudo, estudantes e pesquisadores de todo o mundo podem realizar um intercâmbio ou mesmo ter sua formação completa em algumas das melhores universidades europeias.

“Há uma pequena alteração nos países escolhidos. A ordem tem sido Espanha, Itália, Brasil, Polônia e Alemanha, mas, este ano, há uma pequena inversão, porque Itália tem mais cerca de 40 estudantes do que Espanha. Ainda não estudamos o fenômeno, mas vamos querer saber se é puramente pontual ou se é para continuar”, salientou a vice-reitora Maria de Lurdes Correia Fernandes

Miguel Veloso, de 22 anos, que frequenta o 4º ano de Medicina, é um dos estudantes que, para estudar no próximo semestre, escolheu a Itália de entre os 43 países com que a UP tem protocolo e revelou que “a cultura, a língua e o ‘feedback'” dos colegas pesaram no processo da candidatura. “Quero aproveitar a experiência, porque vai permitir-me ver como funcionam as coisas em Itália e para conseguir fazer escolhas para o meu futuro, até porque penso em trabalhar no estrangeiro. É um país que funciona de um modo muito diferente de Portugal e a nível dos cuidados básicos de saúde, que é a minha área, também”, contou. Entre os países escolhidos, além de Itália, com 224 alunos, destacam-se Espanha, com 168, Polónia, com 100, Brasil, com 92, e Alemanha, com 84 estudantes a escolherem o destino para realizar a experiência.

Originalmente publicado em CM Jornal