Itália lembra os 50 anos do terremoto na Sicília

Agência S&P elogia retomada do crescimento na Itália
13 de Janeiro de 2018
Cidade italiana sediará Copa do Mundo de Gelaterias
14 de Janeiro de 2018

Tremor de terra matou 400 pessoas na Sicília em 1968

Tremor de terra matou 400 pessoas no vale de Belice, na Sicília, em 1968

O terremoto ocorrido entre 14 e 15 de janeiro de 1968 no vale de Belice, na Itália, completa 50 anos neste domingo (14), e a região da Sicília, palco da tragédia, programou uma série de eventos para relembrar o episódio.

A cerimônia mais importante acontecerá neste domingo, com a presença do presidente italiano, Sergio Mattarella, natural de Palermo, e dos prefeitos das cidades afetadas pelo abalo sísmico, no auditório “Giacomo Leggio”, em Partanna. Durante a cerimônia, Mattarella entregará placas em memória das pessoas que deram a vida para ajudar os afetados pelo terremoto.

Já na cidade de Sambuca di Sicilia, a Igreja Madre, construída em 1420, finalmente reabrirá suas portas, depois de uma longa reforma.

Também em memória da tragédia, a Itália sediará mostras fotográficas, sendo que a primeira foi inaugurada nesta sexta-feira (12), na cidade de Chiusa Sclafani. A programação ainda prevê peças teatrais, como aquela que será exibida no Teatro Municipal de Sambuco, no sábado (13), com o ator Alessandro Preziosi e o músico Lello Analfino.

Por sua vez, a cidade de Montevago, em 14 de janeiro, terá uma missa em homenagem às vítimas celebrada pelo cardeal de Agrigento, Francesco Montenegro. Além disso, em maio, o Giro d’Italia, uma das provas mais importantes do ciclismo mundial, terá uma etapa em Santa Ninfa, um dos locais atingidos pelo tremor.

O terremoto de Belice teve magnitude 6.4 na escala Richter e matou cerca de 400 pessoas, incluindo 10 socorristas, além de ter deixado 90 mil desalojados.

Por Ansa