Na Itália, detentos ganham curso de sommelier

Estátua de Neptuno, em Bolonha / Reprodução
Facebook censura foto de estátua italiana do século XVI
4 de janeiro de 2017
Turismo interno continua em alta na Itália / Foto: Hilton Hotel
Itália registra 1 bi de pernoites em 2016, mas 60% ‘ilegais’
6 de janeiro de 2017
Curso atraiu 19 homens e 10 mulheres

Curso atraiu 19 homens e 10 mulheres

A iniciativa pretende não só profissionalizar os detentos, mas principalmente reaproximá-los da vida em sociedade.

Pela primeira vez na Itália, um curso de sommelier (especialista em vinhos) foi oferecido para detentos. Prisioneiros de uma penitenciária da cidade de Lecce, na região da Puglia, sudeste italiano,  aprenderam a degustar, identificar e escolher vinhos e, no fim das aulas, receberam um diploma. As informações são da Agência ANSA.

“O vinho além de qualquer barreira”, dizia o anúncio do curso, que atraiu 19 homens e 10 mulheres. A ideia foi promovida pela Associação Italiana de Sommeliers, em parceria com a administração da cadeia de Borgo San Nicola e a vinícola Feudi di Guagnano.

Nas penitenciárias do país, os detentos têm a oportunidade de se especializar tecnicamente em diversas profissões, como pizzaiolo, marceneiro e artesão, mas, desta vez, o curso chamou atenção em toda a Itália. Em oito aulas, divididas em turmas de homens e mulheres, seis especialistas da associação ensinaram as técnicas da enologia aos alunos. Entre os professores estava Marco Albanese, um policial de Lecce, mas que vestiu as roupas de docente no curso.

As lições teóricas englobaram desde a história da arte milenar da vinificação, passando pelo cultivo da uva, até a identificação do vinho e a degustação.