Itália propõe um G7 da cultura em 2017

Itália registra deflação pela 1ª vez desde 1959
4 de Janeiro de 2017
Apesar de protestos, McDonald’s abre restaurante perto do Vaticano
4 de Janeiro de 2017

Basílica Santa Croce, em Florença, sede do primeiro G7 da Cultura, em 2017 / Foto: Luciano Neves

O G7 reúne, além da Itália, os Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Reino Unido e Canadá.

O ministro da Cultura italiano, Dario Franceschini, anunciou que vai reunir os ministros da Cultura dos países do G7 para uma cúpula sobre proteção do patrimônio, que será realizada nos dias 30 e 31 de março em Florença.

O encontro vai coincidir com a presidência italiana do G7, o grupo dos sete países mais ricos do planeta, cujos chefes de Estado se reunirão no final de maio na cidade siciliana de Taormina.

“Trata-se da primeira reunião na história do G7 que a Itália prevê organizar para situar a cultura e o patrimônio cultural no centro das políticas governamentais”, afirmou Franceschini, em um comunicado.

A reunião de dois dias abordará “principalmente os temas da proteção do patrimônio cultural, do tráfico [de bens culturais] e da cultura como instrumento de diálogo entre os povos”, explicou o ministro.

Por RFI