Estudo revela qual região tem o céu mais estrelado da Itália

O plano dos opositores do euro na Itália: voltar a ter moeda própria
30 de dezembro de 2016
Itália é cada vez mais um país de idosos, mostra Anuário
30 de dezembro de 2016

Território menos atingido pela poluição luminosa é a ilha de Montecristo / Divulgação

Para especialista, 77% dos italianos não podem mais ver a Via Láctea.

Um recente estudo científico mostrou que a última região italiana onde é possível desfrutar de um céu “puro” é a ilha de Montecristo, na Toscana. O estudo foi realizado por um grupo internacional coordenado pelo Instituto de Ciência e Tecnologia da Poluição Luminosa (Istil), baseado em Roma. A pequena ilha, que é praticamente inabitada, tem a flora e a fauna ainda em estado selvagem e recebe apenas uma mínima interferência da iluminação da costa continental mais próxima. A poluição luminosa é um problema global, e entre os países do G20, a Itália é o mais atingido pela falta de visibilidade do céu. “77% dos italianos não podem mais ver a Via Láctea, enquanto um quarto da população não precisa mais ativar o modo de visão noturna dos olhos”, explica o físico Fabio Falchi, que comandou a pesquisa.

“Na Itália, não temos mais um céu sem contaminação, o território menos atingido pela poluição luminosa é a ilha de Montecristo, seguida pela parte oriental da Sardenha, perto do golfo de Orosei, e de algumas zonas de Trentino-Alto Ádige”, completa o especialista.

Por ANSA