Itália entre os 10 melhores países para meninas. Brasil entre os piores

Itália tem 100% das meninas até 16 anos na escola

Levantamento da ONG Save the Children avalia as oportunidades de meninas em 144 países.

No estudo da série “Every Last Girl”, divulgado nesta terça-feira (12), foram levadas em conta as informações sobre casamento infantil, gravidez na adolescência, mortalidade materna, conclusão da escola secundária e representação das mulheres na política.

O Brasil ficou na 102ª colocação geral, pior posição de um país sul-americano, à frente apenas do Haiti e da Guatemala em todo o continente Americano.

Confira os dez melhores e piores países no ranking:

MELHORES

1º – SUÉCIA

Com a maior participação feminina no parlamento, de 43,6%.

2º – FINLÂNDIA

Cerca de 98,2% das finlandesas de até 16 anos frequentam a escola.

3º – NORUEGA

Para compeltar o pódio nórdico está a Noruega, com 99,9% das adolescentes na escola.

4º – HOLANDA

Sem registros de casamentos de meninas até 18 anos, a Holanda é a quarta colocada no ranking.

5º – BÉLGICA

Quinta colocada, a Bélgica não possui casos de casamento infantil e apenas 7 em cada 100 mil mães morrem após o parto.

6º – DINAMARCA

Dinamarca é a sexta colocada, com 37,4% de mulhers no Parlamento.

7º – ESLOVÊNIA

A incidência de gravidez na adolescência entre as eslovenas, sétima na lista, é de 3,9 a cada mil nascimentos.

8º – PORTUGAL

Dez a cada 100 mil partos resultam na morte da mãe em Portugal, que ficou em oitavo.

9º – SUÍÇA

Na 9º posição está a Suíça, com parlamento formado por 32% de mulheres.

10º – ITÁLIA

O 10º lugar ficou com a Itália, país que tem 100% das meninas até 16 anos na escola.

OS PIORES

135º – COSTA DO MARFIM

Na 135ª colocação aparece a Costa do Marfim, com 9,2% de representação feminina na política.

136º – NIGÉRIA

Cerca de 42,8% das nigerianas se casam antes do 18 anos.

137º – GUINÉ

Na Guiné, a cada 100 mil nascimentos, 679 resultam na morte da mãe.

138º – MALÁUI

Só 20,1% das jovens de até 16 anos do Maláui frequentam a escola.

139º – SERRA LEOA

Serra Leoa, 139ª, possui o maior registro de mortalidade materna a cada 100 mil nascimentos: 1360.

140º – SOMÁLIA

A frequência escolar de meninas de até 16 anos na Somália é de apenas 1%.

141º – MALI

Apenas 8,8% do parlamento nacional é composto por mulheres.

142º – REPÚBLICA CENTRO AFRICANA

São registradas 882 mortes de mulheres após o parto a cada 100 mil nascimentos na República Centro Africana.

143º – CHADE

Aproximadamente 68,1% das meninas do Chade, 143ª colocado, se casam antes dos 18 anos.

144º – NÍGER

Último colocado na lista, Níger registra 203,6 casos de gravidez na adolescência a cada mil nascimentos.