As melhores cidades da Itália para viver, segundo pesquisa

É possível estudar na Itália sem falar o italiano?
28 de Fevereiro de 2016
Requisitos para brasileiros estudarem na Universidade de Pisa, na Itália
29 de Fevereiro de 2016

A “nova” Milão e seus novos bairros de alto padrão. Cidade é a segunda melhor cidade para viver na Itália

De acordo com portal Il Sole 24 Ore, a pequena Bolzano e a cosmopolita Milão são as duas melhores cidades para viver no país

 

Uma dica importante para quem procura um bom lugar para morar na Itália, durante ou após o reconhecimento da cidadania italiana. Uma lista publicada pelo grupo de comunicação Il Sole 24 Ore apontou as 110 melhores cidades para se viver no país.

Segundo a pesquisa, as cidades apresentam o melhor desempenho em seis parâmetros: o padrão de vida (diz respeito ao valor médio das pensões, o consumo médio de uma família e custos com habitação), os negócios e trabalho (diz respeito ao número de empresas registradas com relação ao número de habitantes, taxa de emprego e empreendedorismo), serviços e meio ambiente (que diz respeito às condições ambientais e disponibilidade em instituições como creches e escolas, assim como hospitais), população (referente a densidade por km², taxa de migração, separação de casais e escolarização), ordem pública (diz respeito aos roubos e fraudes) e, por último, lazer (números referentes aos ingressos vendidos em cinemas e teatros, presença de turistas, cinemas, bibliotecas, bares e restaurantes a cada 100 mil habitantes).

Bolzano, uma pequena e charmosa cidade ao norte do país, onde a maioria da população fala alemão e pouco mais de um quarto fala italiano como língua materna, vive-se melhor que em todas as outras províncias italianas, segundo a pesquisa. Ela recebeu a maior pontuação, com destaques para o padrão de vida e de trabalho.

Outra grande surpresa na vigésima sexta edição do ranking é o segundo lugar concedido a Milão. No ano anterior, a mais cosmopolita das cidades italianas ocupava o oitavo lugar.

Ela se destacou devido os altos índices de indicação de bem-estar, serviços e entretenimento, embora os índices relacionados à segurança ainda estejam baixos.

Veja o ranking abaixo de províncias analisadas:

classifica2